domingo, 18 de maio de 2014

EDUCAÇÃO BRASILEIRA E SUAS MASELAS - "NINGUÉM PERCEBE, NÉ?" - TVARTPONTO




Os professores não existem como classe. É fato! O sindicato então, nem se fala, nunca chegou a termo nenhum. A não ser a alguns acordos insípidos com o que chamam de governo de São Paulo. Bom, os bons mestres não ficam na educação, pulam fora mesmo! Mas vejo neste momento, não sei se estou tão certo, a sociedade, bem mais favorável aos professores, é algo inédito. Se o governo ou os políticos atentarem que isso pode trazer votos, com certeza irão trabalhar favoravelmente. Eu tenho certeza que assim que o ensino público for realmente democratizado, digo sair deste retrocesso, com ranço autoritário, as coisas vão melhorar. A princípio, sem dúvida passa pela atualização dos salários dos mestres. Mais ainda, capacitação periódica para os referidos professores. Sem isso não temos escolha. Agora um detalhe importantíssimo nesta nota. Estamos em ultimo com resultados totalmente forjados, podem apostar que a maioria, não teria condições de ser aprovada sem empurrão da lei de Progressão Continuada. Ó é triste isso, heim?!

obs:
A foto acima está sendo usada tirada do Face, qualquer incomodo causado nós a retiraremos imediatamente. Por obséquio nos avisem. Sou professor do Estado e precisei publicá-la com o comentário. Se que esta notícia é ultrapassada.





Carta a Antonio Chalhub

Olá Antonio Chalhub, como tem passado o prezado colega?

Veja que este professor Marco Antonio Vilela, tem toda a razão para surpreender-se.

O fato é que estávamos sob as batutas de um governo nacionalista, por isso todas as matérias citadas neste vídeo, tem estes nomes. A mim em nada atina, pelo fato de já conviver e ao mesmo tempo comentar, em palestras aos meus alunos, estes temas.

A ideia do ex-governo era doutrinar seus educandos para não aceitarem, sem oposição, a cultura pop americanizada.

Um exemplo de Colonialismo Epistêmico ou Epistemológico.

É sem dúvida um levante contra esta cultura fraca, pela qual somos levados e é verdade.

Epistemologia é o estudo do saber. Porém, agora com ideia própria, já que me proponho a ser filósofo também, eu não posso me conduzir pelo mundo da criação artística, sem carregá-la de fortes doses e ácidas de pensamento e espírito filosófico.

Filosofia é a arte de pensar. Segundo Procutórun Demasiadun.

Vejamos juntos agora: se epistemologia é a soma do saber, o saber é a justificativa para aquisição e capitalização de cultura e é também, curiosamente, a única fome insaciável. Quando mais sabemos, mais ainda temos necessidade de aprender, a visão se abre em leque geométrico. Podemos concluir: a inteligência tem esta fonte aí.

Mais cultura, mais inteligência e mais força. Simples assim.

A coerção epistemológica permite aos seus autores ampliarem seus domínios via intelectualidade, é um modo de castrar cérebros de semelhantes. Estes mesmos que serão governados pelos que mandam.

Fatalmente, pelo que pregam estes algozes, o resultado é só este: “UM MANDA O RESTO OBEDECE”.

Está aí o segredo de tudo. Jogo de poder é isso.

A estratégia é esta.

Tem algo mais cruel?

Eu quis que o governo petista fosse para onde foi, beleléu? Talvez, mas...

Agora analisemos as proposta de Temer, para a educação. Ele frisou dezenas de vezes: “não tiraremos verbas da educação”, finalizou repetindo esta balela em todos os canais possíveis. Olha que não tirou mesmo, heim?

Tirou foi educação, um absurdo! As matérias Artes, Educação Física, Sociologia e Filosofia, terão que procurar morada junto do ex-governo, pois neste já se passou a borracha.

Não se tira verba, mas se tira educação, é conclusão óbvia demais.

Está aí, também um exemplo prático e flagrante de Fragmentação Epistemológica. Cercear raciocínio é a conclusão. Em troca os trabalhadores, sem discernimento prático, terão seus proventos tabelados lá por baixo, hora: estão sem raciocino!

Logo enquanto eu os ensino a resolverem as problemáticas, todas, através da criatividade, em nome de suas profissões. 

Agora sem a imaginação, como?

É justo?

Além disso, tudo, que historicamente já se cansou de discutir, nossa sociedade, perde por completo o veio para o desenvolvimento.

Pois é Antonio Chalhub, não fique por fora, o bicho come. A intelectualidade avançada é o único caminho para que, nós seres humanos, temos para nos comunicar e evoluir.

O professor tem razão ao surpreender-se.

Mas tem que ter solução porque ao criticar não se aprofunda na problemática.

Abraço aí prezado colega antiquário.



Líbano Montesanti Calil Atallah

Bibliófilo


 ENTRE EM CONTATO CONOSCO

ARTPONTO.ORG@TERRA.COM.BR